• Siga o Meia-Hora nas redes!

Defeitos de fabricação

Aumenta em 11,6% o número de carros convocados para reparos este ano

Por Lucas Cardoso

arte carro pro meia hora
arte carro pro meia hora - arte kiko

O total de carros com defeitos de fabricação cresceu 11,6% no primeiro semestre de 2018 em comparação ao mesmo período de 2017. Levantamento realizado pelo MEIA HORA com base em dados do Procon e em campanhas das montadoras mostra que 1,3 milhão de veículos foram convocados até junho. A Chevrolet foi a marca que registrou o maior número de automóveis com problemas de fábrica: 541.412.

O grupo FCA (Fiat, Chrysler e Automobiles) ficou em segundo lugar no ranking. Registrou pouco mais de 323 mil unidades defeituosas. Porém, na lista de maior número de campanhas de convocação, o grupo FCA aparece no topo. Foram nove vezes ao todo.

Nesse cenário, o problema mais comum foi falha no sistema de airbags. Em alguns casos, constatou-se que o equipamento podia ser acionado involuntariamente ou simplesmente não funcionar. Em segundo lugar, danos na parte elétrica. Eles podem causar incêndio no automóvel.

De acordo com dados do Ministério da Justiça, proprietários de sete a cada dez carros não atendem aos recalls das montadoras. Da lista de chamamentos, a maior parte (90%) se refere a reparos em itens de segurança. Ou seja: grande parcela da frota corre riscos nas ruas.

A Toyota ficou em terceiro lugar na realização de campanhas: foram quatro, com mais de 183 mil proprietários acionados. Entre os modelos que tiveram problemas estão: Corolla, Hilux, Prius e SW4. Já Ford, Honda e Nissan vêm logo em seguida, com 90.980, 86.516 e 38.515 carros com falhas, respectivamente.

Para quem acha que esse cenário só ocorre aqui, dados dos Estados Unidos podem assustar: somente em 2016, foram realizados 53,2 milhões de recalls. Foi o pior ano da história da indústria automobilística naquele país.

Galeria de Fotos

arte carro pro meia hora arte kiko
Número de recalls de janeiro a junho ARTE KIKO
O Corolla foi o modelo que teve mais problemas no primeiro semestre. Foram 173 mil carros com defeitos Divulgação

Comentários

Mais notícias