• Siga o Meia-Hora nas redes!

Felipe ganha um respiro no Fogão

Técnico recebe voto de confiança para a semifinal

O clássico será decisivo para a permanência de Felipe Conceição
O clássico será decisivo para a permanência de Felipe Conceição - Vitor Silva/SSPress/Botafogo

O Botafogo enfrentará o Flamengo, amanhã, às 16h30, em Volta Redonda, pela semifinal da Taça Guanabara, pressionado pela eliminação para a Aparecidense-GO (2 a 1) na primeira fase da Copa do Brasil, terça-feira, e remoendo o protesto violento de torcedores no Aeroporto Santos Dumont, quarta-feira. Balançando no cargo, o técnico Felipe Conceição ganhou um voto de confiança da diretoria até o clássico, mas é grande a chance de ele ser demitido em caso de nova eliminação. Com melhor campanha, o Rubro-Negro tem a vantagem do empate para ir à final, dia 18.

Ontem, no Nilton Santos, o policiamento foi reforçado e os treinamentos, fechados à imprensa.

"Só temos uma maneira agora: vencer o Flamengo. Vamos suar sangue para conseguir a classificação. A gente quer que o Felipe continue pela pessoa que é. Vamos fazer do jogo a nossa vida, correndo por ele, Pimpão, Gilson, torcedores, nossos familiares", disse o goleiro Jefferson, em entrevista coletiva, citando os dois companheiros achincalhados no aeroporto.

Jefferson também comentou as críticas que recebeu por sorrir após a derrota por 2 a 1 em Goiás. Ele já havia justificado, através do Instagram, que o motivo foi o encontro com um ex-colega de divisões de base do Cruzeiro. "O que mais doeu foi ver minha torcida duvidando do meu caráter. Como se chegasse em casa e visse sua esposa e filhos duvidando de você. Mas os verdadeiros torcedores não duvidam. Nem dormi praticamente naquela noite, ninguém dormiu", afirmou.

O camisa 1 ainda comentou o protesto violento em que uma pedra perfurou a janela do ônibus do time, mas sem ferir alguém. "Nós sempre pregamos a paz, principalmente com a violência que vivemos no Rio. Vemos crianças sendo mortas a tiro. Ser recebido dessa forma foi muito triste, saímos como bandidos pelos fundos. Não foi a maioria, os próprios torcedores estão repudiando quem foi lá", disse Jefferson, seguindo a linha das notas publicadas ontem pelo clube e pelos jogadores sobre o caso.

Comentários

Mais notícias