• Siga o Meia-Hora nas redes!

Dias de paz no Mengão

Vitória pela Libertadores deixa o time mais tranquilo para se dedicar ao Carioca

Everton Ribeiro, Rodinei, Henrique Dourado e Everton conversam enquanto correm no gramado
Everton Ribeiro, Rodinei, Henrique Dourado e Everton conversam enquanto correm no gramado - Gilvan de Souza / Flamengo

Mais do que a liderança do Grupo 4 da Libertadores, com quatro pontos, o Flamengo trouxe na bagagem do Equador praticamente três semanas de tranquilidade. Após o empate em 2 a 2 na estreia contra o River Plate-ARG, o Rubro-Negro tinha contra o Emelec-EQU uma partida chave não apenas para o futuro, mas também para o elenco. Um resultado negativo traria forte pressão até a próxima partida na competição, contra o Santa Fé-COL, daqui a um mês. Agora, Paulo César Carpegiani poderá trabalhar sem muita preocupação para o jogo contra a Portuguesa, amanhã, em Cariacica-ES, e também visando ao título carioca.

"Dá um pouco mais de tranquilidade. A Libertadores é o foco, tivemos um jogo difícil na quarta-feira e a vitória veio (2 a 1)", comemorou o meia Everton.

Apesar de ter apenas uma derrota na temporada (goleada de 4 a 0 com os reservas sofrida para o Fluminense), o Flamengo sofreu bastante com o empate em casa contra o River Plate, mesmo jogando melhor. O fantasma de mais uma eliminação na fase de grupos rondou o clube logo após apenas um jogo e por isso a vitória sobre o Emelec foi decisiva para aliviar esse trauma.

"Ganhar é sempre bom, ainda mais nesse nível de competição. Esse jogo fez o time ganhar confiança, porque enfrentamos muita pressão e suportamos bem. Com a vitória, concretizou o momento bom da equipe e o nosso crescimento. Seguimos passo a passo, sem empolgação, porque sabemos o quanto foi difícil essa vitória", afirmou o goleiro Diego Alves.

Em recuperação de edema ósseo no tornozelo direito, o zagueiro Réver foi liberado para iniciar os trabalhos com a preparação física e fez ontem uma atividade leve no campo. Além dele, a outra ausência garantida na partida contra a Lusa é o meia Lucas Paquetá, suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

Estreia no Brasileiro

A CBF divulgou ontem a tabela detalhada da Série A. O Fla estreará dia 14 de abril (sábado), às 19h, contra o Vitória, no Barradão.

Climão com Felipe Vizeu

Quem dificilmente terá chance contra a Portuguesa é Felipe Vizeu. Já negociado com a Udinese vai se apresentar na Itália no meio do ano , o atacante criou mal-estar na diretoria ao pedir dispensa da viagem ao Equador por motivos pessoais e voltou a ficar em baixa.

No segundo semestre de 2017, Vizeu marcou gols decisivos na Copa Sul-Americana, mas este ano perdeu espaço com a chegada de Henrique Dourado. Segundo o Globoesporte.com, o jovem atacante pediu um aumento salarial que não foi aceito pelo clube e tem se sentido desvalorizado. Vizeu é agenciado pela OTB, mesmo grupo que administra as carreiras de Gustavo Scarpa, Zeca e Willian Arão, que tiveram saídas conturbadas de Fluminense, Santos e Botafogo, respectivamente.

Adversário do Fla está invicto contra os grandes

Para ajudar o torcedor a entender o regulamento do Carioca, o MEIA HORA mostra como o adversário do Flamengo chega à última rodada da Taça Rio com várias possibilidades. Invicta contra os clubes de maior investimento empatou com Botafogo (2 a 2) e Fluminense (0 a 0), além de ter derrotado o Vasco (1 a 0) , a Portuguesa ocupa a segunda colocação do Grupo C graças ao saldo de gols um a mais que o Alvinegro (3 a 2). Se empatar com o Mais Querido amanhã, a Lusa garantirá a vaga na Série D do Brasileiro de 2019 e só estará fora da semifinal do turno em caso de vitória do Botafogo sobre o Vasco. Mas, se ganhar do Rubro-Negro, o time da Ilha do Governador carimbará a vaga na semifinal do Carioca e só será eliminado da 'semi' da Taça Rio em caso de vitória do Botafogo tirando a diferença no saldo de gols. "Estamos trabalhando com foco total e sabendo que esse jogo contra o Flamengo é o mais importante do ano. Temos ambições no Carioca. A Portuguesa investiu para viver esse momento e cabe a nós tentar torná-lo possível. É saber trabalhar na correção dos erros para mostrar que a Lusa veio para incomodar também os clubes de maior investimento", afirmou o volante Muniz.

Comentários

Mais notícias