• Siga o Meia-Hora nas redes!

Clima de Copa do Mundo

Brasil enfrenta hoje a anfitriã Rússia no palco da abertura e da final do torneio

Douglas Costa, da Juventus-ITA, tenta driblar Fagner, do Corinthians, durante o treino no CT do Spartak
Douglas Costa, da Juventus-ITA, tenta driblar Fagner, do Corinthians, durante o treino no CT do Spartak - Lucas Figueiredo/CBF

A estreia do Brasil na Copa do Mundo está marcada para o dia 17 de junho, contra a Suíça. Mas, para muitos, a caminhada rumo ao Hexa começa no amistoso preparatório de hoje, às 13h (horário de Brasília), em Moscou, diante da Rússia, anfitriã do Mundial. O duelo, inclusive, será no mesmo palco da abertura e da final da Copa.

Até o Mundial, o Brasil também fará jogos preparatórios contra Alemanha, terça-feira, em Berlim; Croácia, na Inglaterra, dia 3 de junho; e a Áustria, em Viena, dia 10 de junho.

O técnico Tite não contará hoje com o principal craque do Brasil e do Paris Saint-Germain-FRA: Neymar se recupera de fratura no pé direito. No seu lugar, entrará Douglas Costa, da Juventus-ITA. Tite, no entanto, adiantou que o atleta não é o substituto de Neymar.

"O Neymar é insubstituível. Pelo alto nível e qualidade que tem, pelo Top 3 que é", afirmou.

Tite lembrou que busca formar um Brasil como conjunto e não um time dependente de um ou outro atleta. "Temos que assumir responsabilidade de ser forte enquanto equipe. Não posso colocar nas costas do principal atleta, do mais midiático, a solução das coisas. (O ex-jogador) Kaká disse que foi considerado melhor do mundo (em 2007) porque a equipe estava muito bem. Foi o último Bola de Ouro brasileiro, mas fala da força da equipe. É grandeza. Neymar será forte se a equipe for forte", disse.

A organização do amistoso não permitiu que Tite levasse todos os jogadores para o banco, apenas 23. Com isso, dois nomes serão cortados da partida. É provável que um dos nomes saia da defesa, e outro do ataque.

Tite revela dificuldade para fechar o grupo

Tite convocou 25 jogadores para esses dois amistosos, um número maior do que o comum. O treinador explicou o motivo e revelou que a tarefa de fechar a lista de convocados para a Copa do Mundo não é nada fácil.

"É uma dificuldade muito grande, não adianta ser sutil ou simpático. Pelo tempo de preparação, não tenho condição de oportunizar a todos", disse Tite, que completou: "Aumento o número de convocados para que essa possibilidade seja maior".

O técnico vai anunciar a lista final dos 23 selecionados para representar o Brasil na Rússia na primeira semana de maio. Ele já confirmou 16 nomes: os goleiros Alisson e Ederson; os laterais Daniel Alves e Marcelo; os zagueiros Marquinhos, Miranda e Thiago Silva; os volantes Casemiro, Paulinho, Renato Augusto e Fernandinho; os meias Philippe Coutinho e Willian; e os atacantes Neymar, Gabriel Jesus e Roberto Firmino.

Ainda brigam por vaga na Copa os goleiros Cássio e Neto; os laterais Danilo, Fagner, Filipe Luís e Alex Sandro; os zagueiros Jemerson, Rodrigo Caio, Gil e Geromel; os volantes Arthur e Hernanes; os meias Giuliano, Diego e Lucas Lima; e os atacantes Diego Souza, Douglas Costa, Taison e Luan.

Alisson será o capitão

Seguindo o rodízio de capitães de Tite, Alisson foi o escolhido para usar a braçadeira logo mais. Para o goleiro, isto não influenciará na sua postura. "Não vai mudar nada minha característica, eu falo bastante em campo, incomodo os zagueiros, oriento minha defesa. O Brasil sempre teve grandes capitães e os que ficam marcados são os que levantam as taças, e o que eu vi mais foi o Cafu (capitão do Penta em 2002). Acredito que tenha sido um capitão muito bom para a Seleção e a maioria se lembra", disse Alisson.

Comentários

Mais notícias