• Siga o Meia-Hora nas redes!

Vencer e afastar a crise

Mengão sabe que só a vitória sobre o Ceará no Castelão vai devolver a paz ao grupo

Todos estão sob pressão na equipe do Flamengo: jogadores e o técnico interino Mauricio Barbieri
Todos estão sob pressão na equipe do Flamengo: jogadores e o técnico interino Mauricio Barbieri - Gilvan de Souza / Flamengo

Uma semana conturbada terminou da pior maneira possível e colocou uma pressão ainda maior sobre os jogadores. Após o tumultuado embarque na noite de sexta-feira, com tentativa de agressões de torcedores, a delegação rubro-negra ainda sofreu com protestos na chegada a Fortaleza, mais uma vez recepcionada com pipocas. É nesse clima de tensão que o Flamengo enfrenta o Ceará, hoje, às 16h, no Castelão, precisando vencer para diminuir a ira da torcida.

A experiência na sexta-feira assustou e irritou os jogadores. Diego Alves era um dos mais contrariados em Fortaleza. O goleiro, inclusive, teria jogado um copo de café nos torcedores durante o tumulto no Aeroporto do Galeão, segundo o canal Esporte Interativo. Já o meia Diego, principal alvo da ira e que quase foi agredido, teve uma trégua com alguns rubro-negros que estavam no mesmo hotel da delegação, tirou fotos e recebeu apoio ontem.

Ainda na madrugada de sábado, o Flamengo se posicionou sobre o incidente e protestou contra "a atitude absurda de alguns torcedores organizados que estiveram no aeroporto para intimidar e tentar agredir os atletas". Na nota, o clube ainda reforçou que não vai aceitar atos de intimidação, mas não falou se irá tomar alguma atitude contra os vândalos.

De qualquer maneira, os jogadores entrarão em campo hoje mais pressionados por um bom resultado. Há a preocupação do que pode acontecer em caso de um novo tropeço na chegada ao Rio. Certo é que o grupo se sentiu exposto após o incidente e não se sente seguro.

Comentários

Mais notícias