• Siga o Meia-Hora nas redes!

França põe Peru pra fora

Guerrero erra no único gol do jogo, europeus avançam e sul-americanos dão adeus

Griezmann (E) e Mbappé cruzam os braços na comemoração do gol
Griezmann (E) e Mbappé cruzam os braços na comemoração do gol - fotos afp

Fim da linha para o Peru na Copa do Mundo. De volta ao Mundial após 36 anos, os sul-americanos foram eliminados ontem pela França: 1 a 0, gol do atacante Mbappé (após bola perdida por Paolo Guerrero), no primeiro tempo, em Ecaterimburgo. Com o resultado, os franceses garantiram presença nas oitavas de final do torneio. Já os peruanos vão apenas cumprir tabela na terceira e última rodada da fase de grupos, na terça-feira, contra a Austrália.

Assim como em 1982, no México, o Peru cai na fase de grupos. E, ironicamente, Guerrero, o capitão e maior jogador do país, teve participação fundamental às avessas. Aos 33 minutos, o camisa 9 foi desarmado por Pogba em sua intermediária de defesa e assistiu, de camarote, aos campeões de 98 fazerem o gol do jogo.

No final, desolado e incrédulo, Guerrero saiu de campo chorando muito, com o rosto coberto com a camisa e sendo amparado pelos companheiros. Uma reação já esperada para quem lutou tanto para conseguir disputar a sua primeira Copa do Mundo depois de todo o drama da sua suspensão por doping.

"Não tenho o que falar de ninguém, porque todos deram tudo que puderam", destacou o técnico Ricardo Gareca, que na rodada de abertura, com Guerrero no banco, viu a seleção ser derrotada por 1 a 0 pela Dinamarca.

Ontem, bem que o Peru tentou pressionar a França. Empolgado pela oportunidade de começar entre os titulares, Guerrero lutou muito, se entregou, mas só disposição não foi suficiente. O meia Cueva, do São Paulo, e o lateral-esquerdo Trauco companheiro de Guerrero no Flamengo decepcionaram.

Na etapa complementar, com a entrada do atacante Farfán, os sul-americanos melhoraram e pressionaram, mas não criaram chances claras de gol. Nas redes sociais, torcedores não perdoaram e afirmaram que o próximo jogo, terça-feira que vem, contra a Austrália, é considerado como algo que "não serve para nada, como feriado no domingo e olho azul para melhorar a beleza de um feioso".

Comentários

Mais notícias