• Siga o Meia-Hora nas redes!

Não faltou polêmica

Lusitanos empatam com Irã, avançam em segundo e vão pegar o Uruguai nas oitavas

-

O empate de Portugal em 1 a 1 com o Irã, ontem, em Saransk, ao mesmo tempo que, novamente, expôs limitações do time lusitano, desmistificou a capacidade de Cristiano Ronaldo de, sozinho, vencer os jogos. O melhor do mundo passou em branco e ainda perdeu pênalti Beiranvand defendeu, aos sete minutos do segundo tempo. Classificados em segundo lugar no Grupo B, após sofrerem até o fim do jogo, os portugueses pegarão o Uruguai, líder do A, nas oitavas de final da Copa do Mundo. O jogo será no sábado, em Sochi.

A partida de ontem foi marcada pelas intervenções da arbitragem de vídeo (VAR). Em duas, marcou um pênalti para cada lado Ansarifard converteu o do Irã nos acréscimos do segundo tempo, aos 47 minutos. Na outra, aplicou cartão amarelo em Cristiano Ronaldo, quando o craque atingiu Pouraliganji com o braço aos 35 minutos da etapa final.

Bonito mesmo, na partida, foi o gol de Quaresma. Aos 44 minutos, o atacante português bateu de trivela e acertou o ângulo. E a pintura veio como uma ironia do destino. O português Carlos Queiroz, técnico do Irã, comandou Portugal na Copa de 2010 e não convocou Quaresma para aquela disputa, na qual os lusitanos caíram para a Espanha nas oitavas de final. O atacante aproveitou os pedidos de Queiroz pela expulsão de Cristiano Ronaldo, no lance com Pouraliganji, para criticar o treinador.

"Acho que como português ele deveria respeitar mais os portugueses. Mas isso é conversa para outros dias", disse o jogador.

Após o jogo, Queiroz comentou a jogada. "A verdade é que precisamos parar com o jogo de VAR. Foi uma cotovelada. E cotovelada significa cartão vermelho na regra. Na regra não diz se foi com Messi ou Ronaldo", disse o treinador.

Queiroz e CR7 estão com a relação estremecida desde a eliminação de Portugal em 2010.

Galeria de Fotos

Quaresma (E) e CR7 comemoram AFP

Comentários

Mais notícias