• Siga o Meia-Hora nas redes!

Acabou a gordura

São Paulo surpreende no Maraca e reduz vantagem do Rubro-Negro para um ponto

A volta do Brasileirão foi de se esquecer para o Flamengo. Com casa cheia no Maracanã, o líder viu a invencibilidade de nove jogos cair. Com direito a gol de Everton, na 'lei do ex', a derrota por 1 a 0 para o São Paulo, ontem à noite, reduziu para um a diferença de pontos do Rubro-Negro para o Tricolor paulista (27 a 26). A última derrota do Fla havia sido contra a Chapecoense (3 a 2), no dia 13 de maio.

O Flamengo foi melhor no primeiro tempo. Contou, porém, com grande defesa de Diego Alves, em chute de Rojas, para manter o empate. O mais perto que esteve perto do gol foi numa cabeçada de Lucas Paquetá em que a bola bateu no travessão. Cada equipe reclamou de um pênalti não visto pelo árbitro Paulo Roberto Alves Junior: uma bola na mão de Nenê e outra no braço de Romulo.

Aos dois minutos do segundo tempo, Rojas levantou a bola na diagonal, Everton se antecipou à marcação de Renê e marcou de peixinho: 1 a 0. O meia, que foi vendido pelo Flamengo em abril, não quis comemorar.

Guerrero, que teve efeito suspensivo da pena por doping estendido ao Brasileirão, cabeceou uma bola e obrigou Sidão a fazer boa defesa. Após Nenê mandar uma bola rente à trave, Lucas Paquetá fez o mesmo.

O técnico Mauricio Barbieri promoveu a estreia de Uribe, lançando o colombiano no lugar do compatriota dele, Marlos Moreno. O camisa 20, porém, desperdiçou uma chance incrível. Após Sidão rebater bola batida por Paquetá, mandou para fora. Logo depois, ele cabeceou para o chão uma bola cruzada por Paquetá, mas Sidão defendeu. No pior lance, recebeu na direita e, livre, preferiu driblar o marcador e tocar para Guerrero, que perdeu a bola.

Após Diego quase marcar de bicicleta Sidão defendeu , o Fla jogou três dos sete minutos que o juiz deu de acréscimos com um a mais, pois Araruna foi expulso por falta dura em Renê, mas não conseguiu aproveitar a vantagem numéricas. A última derrota do Rubro-Negro para um time de fora, no Maracanã, havia sido contra o Palmeiras (2 a 1), em 6 de dezembro de 2015.

Comentários

Mais notícias