• Siga o Meia-Hora nas redes!

A vitória não 'scarpou'

Lateral marca no 1º tempo e o Tricolor segura a pressão do Palmeiras no Maracanã

O Fluminense manteve a invencibilidade desde a retomada do Campeonato Brasileiro, após a Copa do Mundo, ao derrotar o Palmeiras por 1 a 0, ontem à noite, em sua volta ao Maracanã, e já começa a sonhar com uma vaga na Libertadores de 2019. Gilberto fez o gol, aos 42 minutos do primeiro tempo, diante do melhor público do Tricolor no Brasileirão (22.827), levando o time a emendar a segunda vitória seguida pela segunda vez na competição. Na rodada anterior, já havia vencido o Sport (2 a 1), repetindo o feito da sexta e sétima rodadas, com vitórias sobre o Atlético-PR (2 a 0) e a Chapecoense (3 a 1).

Júlio César fez duas grandes defesas no primeiro tempo. A primeira após chute de Dudu, em falha de Gum, e a outra após cabeçada de Moisés. Como recompensa, o goleiro viu o Tricolor abrir o placar. Marcos Junior cobrou falta e Edu Dracena cortou mal. Na sobra, Gilberto chutou de pé trocado, o esquerdo, e foi para os abraços. O lateral-direito voltou ao time ontem, após ficar fora do empate com o Vasco (1 a 1) e da vitória sobre o Sport, devido a uma torção no pé direito. "Há dor no pé direito. Ainda bem que a bola veio no esquerdo", disse, no intervalo.

Além dele, o Flu contou com a volta do volante Jadson, que cumpriu suspensão contra o Sport, pelo terceiro cartão amarelo, mas jogou desfalcado do lateral-direito Léo, dos volantes Richard e Dodi, e do meia equatoriano Sornoza.

No segundo tempo, o Tricolor jogou para segurar o resultado. Para isso, a defesa trabalhou muito, não deixando o Palmeiras chutar. No fim, Edu Dracena foi expulso após fazer falta por trás em Everaldo.

Para a torcida tricolor, a noite ainda teve um sabor de revanche sobre Gustavo Scarpa, que trocou o Flu pelo Verdão, depois de uma briga na Justiça. O meia, que está jogando com uma liminar do Tribunal Superior do Trabalho, foi vaiado do início ao fim. "Me sinto privilegiado em ouvir essas vaias, é um sinal de que tive alguma importância. É vida que segue", disse Scarpa.

Comentários

Mais notícias