Mais Lidas

Com dicas de Ramon Menezes, Benítez é trunfo nas cobranças de falta contra o Fortaleza

Com cinco gols pelo Vasco, camisa 10 fez o primeiro de falta no empate com o Palmeiras

Benítez marcou o primeiro gol de falta no empate com o Palmeiras
Benítez marcou o primeiro gol de falta no empate com o Palmeiras -
Fortaleza - Camisa 10 à moda antiga, Mantín Benítez mantém viva a função do 'enganche', denominação usada na Argentina para os jogadores de rara habilidade e poder de criação no meio de campo. No confronto com o Fortaleza, nesta quarta-feira, às 19h15, na Arena Castelão, o apoiador é peça-chave diante de um concorrente direto na luta contra o rebaixamento para a Série B. Na zona da degola, em 17º lugar, com 37 pontos, um a menos do que o Leão do Pici, 15º colocado, o Cruzmaltino conta com o capricho de Benítez nas cobranças de falta para voltar a vencer no Brasileiro.
A começar pelo maior ídolo da história do clube, Roberto Dinamite, o Vasco tem um histórico de exímios batedores, como Geovani, Bebeto, Petkovic, Marcelinho Carioca, Juninho Pernambucano e Ramon Menezes, técnico que comandou o Vasco em 2020. Benítez revelou em conversa à 'Vasco TV' que foi ao lado de Ramon, então auxiliar permanente do clube, que aprimorou o fundamento.

"Quando cheguei em fevereiro, o Abel era o treinador. Eu cheguei com uma lesão muscular e trabalhei mais com o Ramon. Criamos uma relação muito boa. Aí ele virou o técnico e na pré-temporada nos colocava uma ou duas vezes por semana para cobrar faltas. Não era uma especialidade minha. Contra o Palmeiras foi meu primeiro gol de falta. Isso é fruto do trabalho", disse Benítez, que marcou o primeiro gol de falta no empate com Palmeiras, no dia 26 de janeiro, Allianz Parque.
Ramon costumava a dividir os jogadores escolhidos em dois grupos, que se revezam nas duas sessões dedicadas à bola parada durante a semana. Em média, cada batedor repetia 50 finalizações, em diferentes marcações. Além de Benítez, Yago Pikachu, Andrey, Cayo Tenório, Henrique, Lucas Santos e Gabriel Pec eram testados. Sob o comando de Vanderlei Luxemburgo, o camisa 10 divide a função com o compatriota Leonardo Gil, Pikachu e Carlinhos. Devido a decisiva e acelerada reta final do Brasileiro, a carga de treinos diminuiu.
"Não tenho tido tempo para treinar. Com os jogos sendo disputados em um curto período não tem como. Tenho que recuperar fisicamente. Quando estiver bem e tiver tempo, sempre estarei treinando", declarou.