• Siga o Meia-Hora nas redes!

Multidão invadiu a Passarela

O samba-enredo da Beija-Flor, considerado o melhor deste ano por muitos especialistas no assunto, foi o grande trunfo no desfile da Azul e Branca de Nilópolis e acabou cantado com garra pelos integrantes e também pelo público.

Sem a pompa habitual, a agremiação apostou em alegorias de interpretação instantânea. Uma das mais emblemáticas era o segundo carro, no qual uma ratazana arrastava o prédio da Petrobras, que se transformava em favela, representando o empobrecimento da população em função da corrupção.

A intolerância, como a homofobia, o racismo e o feminicídio foram destaques no quarto carro, onde estavam as cantoras Pabllo Vittar e Jojo Todynho. O público se identificou tanto com os protestos que invadiu a Sapucaí no fim do desfile e seguiu a escola, cantando até a dispersão.

Comentários

Mais notícias