• Siga o Meia-Hora nas redes!

Fim de linha para Maria Tereza

Desativação acaba com esperança de ligação direta Campo Grande-Barra

Acabou a esperança de uma ligação direta de transporte público entre Campo Grande e a Barra da Tijuca. Funcionários da Prefeitura do Rio começaram a desmontar ontem a estação do BRT Maria Tereza, construída em 2012 por R$ 1,5 milhão, em Campo Grande, e jamais inaugurada. A estrutura serviria para uma futura ampliação do sistema pela Estrada do Monteiro, anunciada pelo então prefeito Eduardo Paes.

A Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG) informou que partiu dela, em conjunto com associações de moradores, o movimento pela desativação. Isso porque a estação tem sido usada por moradores de rua e sua presença 'fantasma' afeta a sensação de segurança no local. Outra justificativa é que a estrutura atrapalha o trânsito. "Documentos foram levantados, estudos foram feitos, ofícios encaminhados e diversas horas de reuniões com os órgãos competentes [...] Muitos anos foram perdidos, dinheiro público desperdiçado, até atingirmos um objetivo considerado básico por qualquer cidadão consciente: a desativação de um mobiliário que, além de estar atrapalhando, não está sendo utilizado para nada", diz nota da ACIGG.

Passageiros que contavam com a conclusão do trecho e a redução do tempo de viagem lamentaram. Após a implantação do corredor Transoeste, as linhas diretas de ônibus entre Campo Grande e a Barra foram extintas.

A prefeitura anunciou que vai duplicar a capacidade da Estrada do Monteiro e fará canteiro central arborizado em até um mês. Novas linhas de ônibus não são cogitadas. Segundo a Secretaria de Transportes, a estrutura será guardada para repor peças em outras estações. O órgão disse que o local sofria com usuários de drogas e vandalismo, e que a prioridade é terminar o BRT Transbrasil.

Comentários

Mais notícias