• Siga o Meia-Hora nas redes!

Poliçada dá sacode e prende 18 milicianos

Civil mira na fonte de renda da Liga da Justiça, que fatura R$ 30 milhões por ano

Na casa do irmão de Ecko, chefe da milícia, policiais apreenderam câmeras e monitores de vigilância
Na casa do irmão de Ecko, chefe da milícia, policiais apreenderam câmeras e monitores de vigilância - Maíra Coelho / Agência O Dia

Maior milícia do Rio, a Liga da Justiça se transformou em organização ilimitada. Segundo o chefe da Polícia Civil, delegado Rivaldo Barbosa, nos últimos cinco anos, o grupo paramilitar dobrou seu território de atuação e ampliou o leque de delitos. "Pratica todos os crimes previstos no Código Penal", disse.

Às atividades já conhecidas como práticas da milícia, como cobrança por segurança clandestina, extorsão, exploração de transporte alternativo, venda de gás e gatonet, somaram-se o comércio informal, o loteamento irregular e a extração ilegal de areia e minerais. "A milícia propaga o terror com o único objetivo de angariar lucro", afirmou o delegado Fábio Barucke.

Segundo a polícia, a Liga da Justiça fatura cerca de R$ 25 milhões por mês (R$ 300 milhões/ano) com as mais variadas atividades ilegais nas ruas da Zona Oeste do Rio. Boa parte do dinheiro vai para a corrupção de agentes públicos.

Ontem, a Polícia Civil deflagrou a Operação Nocaute, que terminou com 18 presos. Apesar de a Polícia negar, a ação foi antecipada após delegados envolvidos na ação no sítio Três Irmãos, quando 159 pessoas foram detidas, em Santa Cruz, no dia 7, terem sido ameaçados de morte. A primeira ameaça chegou por um bilhete entregue na 35ª DP (Campo Grande), cuja titularidade, do delegado William de Medeiros Pena Junior, foi mudada no mesmo dia. Ele recebeu uma ligação no seu telefone pessoal de uma pessoa dizendo que ia matá-lo.

Galeria de Fotos

Na casa do irmão de Ecko, chefe da milícia, policiais apreenderam câmeras e monitores de vigilância Maíra Coelho / Agência O Dia
Operação apreendeu em Santa Cruz vans e kombis de transporte alternativo, que, segundo a polícia, são a principal fonte de renda da milícia da Zona Oeste Severino Silva

Comentários

Mais notícias