• Siga o Meia-Hora nas redes!

Justiça autoriza retorno de chefões do pó ao Rio

Presos em cadeias federais estão prestes a voltar a cumprir pena em Bangu 1

Aos poucos cai por terra a política de segurança do estado de manter traficantes e milicianos perigosos longe do Rio. Vão aterrissar em breve em Bangu 1, presídio de segurança máxima do Complexo de Gericinó, Adair Marlon Duarte, o Aldair da Mangueira, e Sandro Batista Rodrigues, o Naíba, do Comando Vermelho (CV); e Márcio da Silva Lima, o Tola, do Terceiro Comando Puro (TCP).

Desde março de 2017, outros 29 criminosos enviados para presídios federais retornaram ao Rio, entre eles um dos chefes da Liga da Justiça o mais influente grupo miliciano da Zona Oeste , o ex-vereador Jerônimo Guimarães Filho, o Jerominho. Quem também voltou foi Celso Luís Rodrigues, o Celsinho da Vila Vintém.

Apesar das figuras carimbadas de perigosas pela Secretaria Estadual de Segurança, que não quis se pronunciar sobre o assunto, o juiz da Vara de Execuções Penais (VEP), Rafael Estrella Nóbrega, alegou, em nota oficial, que os bandidos de altíssima periculosidade ainda estão em unidades federais.

Estrella não poupa o Ministério Público e a Secretaria de Segurança sobre o retorno dos criminosos e alega que os órgãos não apresentaram novos motivos que justificassem a permanência dos detentos em unidades federais. "Todos estão fora do estado desde 2016, muitos até há bem mais tempo. E a Lei 11.671/2008 determina que a renovação não ultrapasse 360 dias", argumentou.

Comentários

Mais notícias