• Siga o Meia-Hora nas redes!

Uma lição de superação

STEVE JOBS - Foto da COLUNA CLOVIS MONTEIRO para a coluna do dia 16.07.18
STEVE JOBS - Foto da COLUNA CLOVIS MONTEIRO para a coluna do dia 16.07.18 - reprodução / Apple / Arquivo

Uma estudante solteira engravidou e resolveu dar o filho para adoção. Um casal da classe trabalhadora o adotou e, com muito sacrifício, 17 anos mais tarde, Steve foi para a faculdade. Só que a faculdade era tão cara que consumia todo o dinheiro dos pais adotivos.

Steve Jobs resolveu sair da universidade e fazer um curso de caligrafia para ganhar algum dinheiro fazendo cartazes, que eram muito usados na época. Ele também chegou a vender garrafas para se sustentar. Aos 20 anos, na garagem da casa dos pais, construiu seu primeiro computador.

Em 10 anos, a empresa Apple se transformou numa corporação de 2 milhões de dólares e quatro mil empregados. Por ter crescido muito, resolveram contratar alguém para dirigir a empresa. Com o tempo, os administradores e Steve Jobs começaram a divergir sobre o futuro da empresa. E ele, o criador da empresa, foi demitido.

Aquilo foi devastador para sua autoestima. Steve Jobs se sentiu um perdedor e chegou a se mudar porque considerou aquilo um fracasso público.

Cinco anos depois, Steve Jobs criou a Next e um estúdio chamado Pixar, que fez o primeiro desenho animado por computador, o Toy Story, para a Disney.

Algum tempo depois, a Apple comprou a Next e, então, Steve voltou para a empresa. Desenvolveu uma nova tecnologia e a Pixar é hoje o estúdio de animação mais bem-sucedido do mundo.

Steve Jobs tinha certeza de que nada disso teria acontecido se ele não tivesse sido demitido.

Quando tudo parecia perfeito, Steve Jobs descobriu que estava com câncer e que lhe restavam de três a seis semanas de vida. Ele chegou a passar um dia inteiro com aquele diagnóstico na cabeça, pensando em como dizer tudo o que queria aos filhos.

Um novo exame foi realizado e descobriram que, no caso dele, poderia ser feita uma cirurgia. Ele foi operado e salvo. A partir daí, Steve Jobs percebeu que todos temos um tempo limitado nesta vida. E, a cada novo dia, ele se olhava no espelho e se perguntava: "Se hoje fosse meu último dia, eu gostaria de fazer o que farei hoje?". Se a resposta fosse "não" por muitos dias seguidos, ele sabia que precisava mudar alguma coisa.

Infelizmente, em outubro de 2011, o câncer venceu Steve Jobs, que deixou uma grande lição de superação para todo o mundo.

Lição de vida: diante da morte, quase tudo orgulho, medo de passar vergonha ou de falhar, expectativas externas cai diante do fim da vida.

Não há razão para não seguir o coração. Valorize cada minuto da sua vida e faça sempre o que é mais importante!

Comentários

Mais notícias