• Siga o Meia-Hora nas redes!

Mototaxista reage a estímulos

Depois ter morte cerebral declarada, na quarta, por médicos, ele apresenta melhora

Parentes do mototaxista Júlio Cesar Fernandes da Silva, 41 anos, atingido na cabeça por uma bala perdida na quarta-feira, na Cidade de Deus, Zona Oeste, disseram ontem que ele continua em estado grave, mas tem reagido aos estímulos da equipe médica. Júlio Cesar foi ferido na sexta-feira e socorrido para o Hospital Miguel Couto, na Gávea, Zona Sul, onde está internado.

Na quarta-feira, médicos declararam que o mototaxista havia tido morte cerebral. No entanto, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou ontem de manhã que o quadro de saúde dele é grave, porém estável clinicamente. Quanto à morte cerebral, a pasta declarou apenas que "o paciente está em estado grave".

"A equipe médica disse mesmo para a família que ele tinha tido morte cerebral, mas fomos surpreendidos agora com a notícia de que ele está reagindo. Hoje ele apertou a mão da mulher dele", disse Magno Souza, amigo de Júlio Cesar. "Só Deus mesmo. Ele está reagindo de uma forma que até a equipe médica está se surpreendendo", completou o amigo.

Um vídeo exibido pelo 'RJTV2', da TV Globo, mostra o início de uma perseguição policial. O mototaxista foi atingido enquanto PMs perseguiam um suspeito. Testemunhas afirmam que apenas o policial militar atirou no momento em que Júlio Cesar foi atingido.

Gravação feita por uma câmera de segurança mostra um carro da PM interceptando uma moto com dois rapazes na Rua Edgard Werneck. Um deles estaria armado. Um dos suspeitos se entrega e o outro corre para dentro da comunidade. Um policial, identificado como cabo Amaral, corre atrás do suspeito e faz disparos de fuzil. Em seu depoimento, o PM afirmou que revidou a tiros. A Polícia Civil investiga quem fez disparo que atingiu o mototaxista.

Comentários

Mais notícias