• Siga o Meia-Hora nas redes!

'Plantação' de maconha em tabletes no Alemão

Carregamento de 500 quilos estava enterrado em tonéis no alto da favela da Grota

A droga foi encontrada após levantamentos dos setores de Inteligência do Exército e da Polícia Civil
A droga foi encontrada após levantamentos dos setores de Inteligência do Exército e da Polícia Civil - Divulgação/CML

As forças de segurança que ocupam, desde segunda-feira, os complexos do Alemão, Penha e Maré deram mais um prejuízo aos traficantes. Em uma ação integrada, após levantamentos dos setores de Inteligência das Forças Armadas e da Polícia Civil, militares e agentes da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE) apreenderam, na quarta-feira, cerca de 500 quilos de maconha prensada na favela da Grota, dentro do Complexo do Alemão. A droga estava enterrada em tonéis, no alto da comunidade.

O levantamento de informações para chegar à droga foi iniciado após denúncia anônima, segundo o Comando Militar do Leste (CML). O local fica nas proximidades de uma região de mata, em área de difícil acesso, e a droga, 486 tabletes, estava pronta para ser fracionada e vendida nas bocas de fumo. O local era utilizado pelos traficantes como depósito justamente por causa da dificuldade de acesso da polícia durante operações. Segundo o CML, o acesso "só foi possibilitado com a estabilização da área feita pelos militares das Forças Armadas, a partir da operação deflagrada na última segunda-feira".

Ainda segundo o CML, a droga está avaliada em mais de R$ 2 milhões. "O significado dessa apreensão é um impacto financeiro na cadeia de sustentação do tráfico de drogas e dos diversos crimes a ele conexos na cidade do Rio de Janeiro, representando uma perda de cerca e R$ 2,4 milhões pelos criminosos", diz o CML em nota.

Já na favela da Chatuba, no Complexo da Penha, PMs do Batalhão de Ações com Cães (BAC) apreenderam ontem outros 280 quilos de maconha que estavam em tabletes de 1,3 quilo a 2 quilos.

O Comando Conjunto das Operações pede que moradores denunciem esconderijos de armas, drogas e criminosos através do Disque Denúncia (2253-1177).

Comentários

Mais notícias