• Siga o Meia-Hora nas redes!

Começa o trabalho

Estrutura será escorada para garantir a segurança

O incêndio que destruiu grande parte do acervo do Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista, na Zona Norte do Rio, completou uma semana ontem, mas as causas seguem sem respostas. Hoje começa o trabalho de estabilização da estrutura do prédio com a colocação de tapumes, vigas de sustentação nas paredes e também uma cobertura para proteger o que está dentro do prédio do museu.O próximo passo será retirar dos escombros as peças do acervo que resistiram ao fogo, para então fazer um levantamento desses itens.

Uma equipe de especialistas, sob o comando de arqueólogos do museu realizará o trabalho de escavações e buscas, com apoio de engenheiros contratados para garantir a segurança nos escombros.

Parte do acervo da coleção dos povos indígenas do Brasil, que estava em uma exposição em Brasília, além de 1,450 milhão de itens das coleções de botânica, vertebrados, invertebrados, e 500 mil livros, que também não estavam no prédio na noite do incêndio, foram preservados.

A vice-diretora do Museu Nacional, Cristiana Serejo confirmou à Agência Brasil que, amanhã começam a chegar no Rio técnicos da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) que vão auxiliar nos trabalhos. A instituição ofereceu especialistas que já trabalharam em tsunamis e outros desastres para ajudar na remoção dos escombros.

A expectativa é de que no decorrer dessa semana, sejam liberados R$ 10 milhões do Ministério da Educação para ações emergenciais na segurança do prédio.

Comentários

Mais notícias