Mais Lidas

Advogado de jovem agredido em shopping da Ilha do Governador rebate versão de boné do Hulk

Agressores disseram em depoimento que abordaram Matheus por conta de um boné do Hulk, que seria alusão a um traficante da Ilha. "Na abordagem, ninguém pergunta sobre o boné dele", afirma o advogado

O soldado da PM Diego Alves da Silva escondeu o rosto na saída 37ª DP
O soldado da PM Diego Alves da Silva escondeu o rosto na saída 37ª DP -
O advogado Jaime Fernandes, que defende o jovem Matheus Fernandes no caso da agressão em um shopping da Ilha do Governador rebateu a versão dos policiais militares sobre a causa da abordagem ter sido o boné. O delegado Marcus Henrique Alves, titular da 37° DP (Ilha do Governador), afirmou na segunda-feira que os PMs que agrediram Matheus disseram, em depoimento, ter desconfiado de um boné do personagem Hulk, que seria também o apelido de Gil, traficante da Ilha do Governador morto no ano passado.

Galeria de Fotos

O soldado Diego Alves da Silva escondeu o rosto na saída 37ª DP Luciano Belford/Agência O Dia
O soldado da PM Diego Alves da Silva escondeu o rosto na saída 37ª DP Luciano Belford/Agência O Dia
Rio de Janeiro 10/08/2020 - Os policiais acusado de agredir um jovem no shopping Ilha Plaza Shopping prestaram depoimento na 37 DP na ilha do Governandor. Na foto acima o advogado Ricardo Chagas. Foto: Luciano Belford/Agência O Dia Luciano Belford/Agência O Dia
O sargento da PM Gabriel Izaú prestou depoimento na 37ª DP Luciano Belford/Agência O Dia
Policiais acusados de agredir um jovem no shopping Ilha Plaza Shopping prestaram depoimento na 37ª DP na Ilha do Governandor na segunda-feira. Na foto, o Policial Militar Gabriel Guimarães Izaú Luciano Belford/ Agência O DIA

Fernandes, que defende Matheus, lembrou o caso do jovem Thiago Silva. Na segunda-feira, em entrevista ao 'RJ2', Thiago, que também é negro, afirmou que meses antes foi seguido no mesmo shopping por Gabriel Guimarães Sá Izaú. Na abordagem a Matheus, Gabriel age com truculência. "Houve ontem uma denúncia relativa ao segurança de camisa vermelha (o PM Izaú). E esse rapaz não usava boné nenhum. Foi levado também, exatamente a mesma abordagem", disse ao Meia o advogado.
"Ele achou esse boné, não sabia da história. Não faz sentido até porque na abordagem ninguém pergunta sobre o boné. Ninguém pede o boné do Matheus".

Boné causou 'desconfiança'

O delegado da 37ª DP, Marcus Henrique Alves, disse que uma das explicações dos policiais para a abordagem foi de que Matheus usava um boné do personagem Hulk, que também era o apelido do traficante Gilberto Coelho de Oliveira, braço-direito de Fernandinho Guarabu no controle das favelas da Ilha do Governador. Segundo o delegado, isso causou "desconfiança" no PMs.
"Disseram que desconfiaram do Matheus não pelo fato de ele ser negro, mas porque usava um boné que fazia referência ao Hulk, apelido de um traficante também conhecido como Gil".