Mais Lidas

Polícia apura desaparecimento de segurança de shopping na Baixada

Paulo Sérgio, 48, sumiu há 9 dias, após sair de casa em Duque de Caxias. Furtos de objetos da residência podem ter ligação com o desaparecimento

Paulo está sumido há 9 dias
Paulo está sumido há 9 dias -
Há nove dias, o paradeiro do segurança de shopping Paulo Sérgio de Mello, de 48 anos, ainda é desconhecido e as circunstâncias do sumiço estão sendo investigadas pela polícia. Pai de cinco filhos, ele desapareceu na manhã do último dia 13, após sair de casa, no bairro Centenário, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Um suposto furto de objetos da residência de Paulo, que mora sozinho, pode ter ligação com o desaparecimento, segundo policiais. Abalados, familiares realizam buscas em hospitais, comunidades da região e institutos médico-legais, mas ainda sem sucesso.
Funcionário de uma empresa de segurança que presta serviços para shoppings-centers na Baixada e Zona Oeste do Rio, Paulo mantinha a rotina, durante as folgas, de cuidar de pássaros e, caminhar pela manhã pelas ruas do bairro. Contudo, no último dia 13, a demora no retorno chamou a atenção da família, pois ele tinha o compromisso de dar remédio à mãe, uma idosa de 90 anos, que mora em uma casa geminada. Apesar de não encontrar vestígios de violência na residência, familiares perceberam a porta da residência encostada e deram falta de dezenas de pássaros e de um aparelho de televisão, que, podem ligar o desaparecimento a um suposto furto ou roubo.
Consternada, a manicure Cristiane de Brito Mello, de 43 anos, lamenta a ausência do marido e a falta de respostas para o desaparecimento repentino. “É uma pessoa muito querida. Atencioso com os filhos e com toda a família. Apesar de casado, ele dividia a rotina em duas casas, aqui em São J. de Meriti e outra em Duque e Caxias, onde cuidava da mãe. Estamos sem chão. Não sei mais o que falar para os filhos. Já procuramos em diversos lugares. Ninguém sabe, ninguém viu. Como pode alguém sumir assim? Ele não estava sendo ameaçado ou passando por problemas que o levasse a desaparecer. A dor é muito grande”, disse, emocionada a manicure, que tem dois filhos com Paulo. Ele tem outras três filhas do primeiro casamento.
Investigações - A possibilidade de roubo ou furto dos objetos terem ligação com o desaparecimento do segurança de shopping Paulo Sérgio Mello não foi descartada pela polícia, que mantém a investigação sob sigilo. O caso foi registrado na 59ª DP (Caxias) e encaminhado para o setor de Descoberta de Paradeiros da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), que deixa à disposição da população o telefone (21) 98596-7442 (whatsapp) e ressalta a importância da colaboração com informações e denúncias, com garantia de total anonimato.

‘Famílias sem respostas é falta de sensibilidade das instituições’, diz ativista
De acordo com dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, o Brasil registra, anualmente, cerca de 80 mil casos de desaparecimentos. Contudo, a dualidade entre a dor da ausência e a falta de resposta das instituições continua sendo o dilema vivenciado por centenas de famílias. A situação se agrava pela falta de sensibilidade das autoridades públicas, segundo relata Luciene Pimenta Torres, presidente da Instituição Mães Virtuosas, que agrega familiares de desaparecidos em todo o Brasil.
Para a ativista, a despeito dos avanços da causa em defesa das famílias, a polícia ainda não tem uma investigação qualificada e a justiça é morosa. Luciene ressalta ainda que a falta de uma tipificação penal e a indiferença para os casos acirram a dor das famílias, que precisam agir em causa própria, em meio a um turbilhão de emoções gerado pelos sumiços.
“São cerca de 80 mil famílias que sofrem por ano em todo o país. Nos primeiros dias do desaparecimento, elas ficam à mercê da boa vontade da polícia, da justiça, mas, geralmente, contam apenas com a ajuda de amigos ou de uma rede de apoiadores particulares. O desaparecimento ainda é tratado como um caso menor. Famílias sem respostas é falta de sensibilidade das instituições. Temos que continuar lutando para mudar essa triste realidade”, afirma Luciene.
Paulo está sumido há 9 dias Arquivo Pessoal
Paulo Sérgio trabalha como segurança de shopping center na Baixada Arquivo Pessoal
Paulo e Cristiane estão casados há 10 anos e têm 2 filhos Arquivo Pessoal
Paulo gostava de cuidar de pássaros Arquivo Pessoal