Mais Lidas

Ex-marido preso pela morte de juíza não aceitava o fim do relacionamento

Vítima havia feito um registro de ameaça e lesão corporal contra o ex-marido em setembro

Juíza Viviane Vieira do Amaral Arronenzi, de 45 anos
Juíza Viviane Vieira do Amaral Arronenzi, de 45 anos -
Rio - O ex-marido da juíza Viviane Vieira do Amaral Arronenzi, que foi preso em flagrante após matá-la a facadas na véspera de natal, não aceitava o fim do relacionamento. Segundo a Polícia Civil, Paulo José Arronenzi se calou na delegacia e disse que só vai ser manifestar em juízo. O crime aconteceu por volta das 18h, na Avenida Rachel de Queiroz, na frente das três filhas do casal menores de idade.
Ainda de acordo com a Polícia Civil, Viviane havia feito um registro de ameaça e lesão corporal contra o ex-marido em setembro. Na época, ela chegou a ter escolta policial concedida pelo Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ), mas logo pediu a suspensão.
De acordo com a Guarda Municipal, agentes estavam na base do subgrupamento, que fica ao lado do Bosque de Barra, quando foram acionados para ajudar a vítima. No local, encontraram a mulher caída e desacordada. O criminoso recebeu voz de prisão no local e foi encaminhado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, onde foi atendido e posteriormente conduzido para a delegacia.
Um vídeo que circula nas redes sociais mostra o momento do assassinato. Nas imagens, aos gritos, as crianças pedem que o pai pare de golpear a mãe.
Crime premeditado
Uma reportagem do RJTV mostrou que Paulo teria premeditado o crime. Isso porque foram encontradas três facas no carro dele. No entanto, a que foi usada no crime não foi encontrada.
A juíza não foi a única mulher a denunciar o engenheiro para a polícia. Em 2007, uma ex-namorada dele registrou ocorrência policial porque estaria sendo importunada por ele, que também não aceitava o fim do relacionamento.