• Siga o Meia-Hora nas redes!

Adeus a Winnie

Ex-mulher de Nelson Mandela morre aos 81 anos

Winnie em sua última aparição pública: 16 de dezembro de 2017
Winnie em sua última aparição pública: 16 de dezembro de 2017 - AFP

Winnie Mandela, ex-esposa do primeiro presidente negro da África do Sul, Nelson Mandela, morreu ontem, aos 81 anos, em decorrência "de uma longa doença", em um hospital de Joanesburgo, anunciou um porta-voz de sua família. Winnie casou-se com Mandela em 1958 ela com 21 anos e ele, com 40 e o casal se divorciou em 1996.

"É com grande tristeza que informamos ao público que a senhora Winnie Madikizela-Mandela faleceu no hospital Milkpark", declarou Victor Dlamini, em um comunicado.

Nelson Mandela foi presidente entre 1994 e 1999, e morreu aos 95 anos, em 5 de dezembro de 2013.

Indomável e carismática, Winnie Madikizela-Mandela tornou-se um importante rosto da luta contra o apartheid sistema de segregação racial na África do Sul ao assumir a bandeira de seu marido, que passou 27 anos preso pelo regime racista da minoria branca sul-africana. Ela sofreu muitas pressões, mas não se deixou intimidar. No entanto, em 1991, ela perdeu parte do apoio ao ser considerada culpada de cumplicidade no sequestro de um jovem ativista negro, Stompie Seipei, acusado de ser informante da polícia. Ela foi condenada a seis anos de prisão, mas sua pena foi comutada para uma multa simples.

Nascida em 26 de setembro de 1936, na província de Cabo Oriental, terra natal de Mandela, ela obteve diploma universitário em Serviço Social, uma façanha para uma mulher negra, na época. Ela esteve casada por 36 anos com Mandela, mas a união foi rapidamente prejudicada pela luta política de seu marido. "Nunca tivemos uma vida familiar, não podíamos tirar Nelson de seu povo. A luta contra o apartheid e pela nação vinha primeiro", escreveu ela em suas memórias.

Comentários

Mais notícias