Mais Lidas

Condenado a cem anos de prisão por estuprar duas filhas e enteada

Meninas sofreram abuso sexual na infância e durante a adolescência

SÃO PAULO - Um homem de 47 anos acusado de estuprar ao longo de vários anos as duas filhas e a enteada em Itapoá (SC) foi condenado a mais de cem anos de prisão. O 'predator sexual de menores' foi julgado pelos crimes de estupro de vulnerável contras as três vítimas. A pena foi aumenta em razão do parentesco entre o estuprador e as vítimas e do crime ter se repetido ao longo dos anos.

Uma das vítimas disse em depoimento que sofreu o primeiro estupro aos 6 anos de idade, quando foi amarrada com um fio de luz. Ela só deixou de ser abusada na adolescência, depois de descobrir que a irmã caçula também era violentada e ameaçar o estuprador com uma faca.

Outra vítima contou que começou a ser estuprada por volta dos 7 anos e que os abusos sexuais continuaram por três ou quatro anos. Segundo a vítima, o estuprador ameaçava matá-la caso ela revelasse os abusos à mãe.

A enteada também confirmou ter sido vítima de estupro e contou que o padrasto dava dinheiro a ela para não chorar enquanto era violentada. Ela sofreu abusos por dois anos.

"A triste narrativa apresentada na denúncia e confirmada no decorrer do processo não deixa dúvidas de que o réu tratava-se de um predador sexual de menores", disse na sentença a juíza Aline Vasty Ferrandin, titular da 2.ª Vara da comarca de Itapoá.

Comentários