Mais Lidas

Catador executado em ação do Exército é sepultado no Caju

Luciano Macedo, de 28, é a segunda vítima fatal dos 80 tiros que também mataram o músico Evaldo Rosa, no último dia 7

Rio de Janeiro, 19 de abril, Caju. Enterro do catador Luciano Macedo no cemiterio do Caju zona portuaria do Rio, vitima dos disparos feitos pelo exercito tentando ajudar Evaldo Santos morto com 80 tiros. Foto Marcio Mercante / Agencia O Dia.
Rio de Janeiro, 19 de abril, Caju. Enterro do catador Luciano Macedo no cemiterio do Caju zona portuaria do Rio, vitima dos disparos feitos pelo exercito tentando ajudar Evaldo Santos morto com 80 tiros. Foto Marcio Mercante / Agencia O Dia. -

O corpo de Luciano Macedo, catador de lixo alvejado por três dos 83 tiros disparados por militares do Exército enquanto socorria a família do músico Evaldo Rosa, no último dia 7, em Guadalupe, não resistiu aos ferimentos e foi sepultado na tarde desta sexta-feira, no Cemitério do Caju, Zona Portuária do Rio. Amigos e familiares do catador prestaram suas últimas homenagens.

"Ele tava catando madeira pra construir o barraco dele. Tinha acabado de ganhar um terreno perto de onde foi baleado. Eu disse pra ele que alí era perigoso. Ele disse 'Coroa, ali tem Exército. Tá seguro'. Mas o Exército matou meu filho!", afirma aos prantos Aparecida Macedo, mãe de Luciano.

Ela relata ainda que sua família não recebeu nenhum tipo de ajuda do Exército. "Foi uma covardia o que fizeram com meu filho. Até agora, não nos ofereceram nem um copo d'água", ressalta a mãe da vítima.

Além da família, amigos que frequentavam o mesmo centro de candomblé de Luciano também estiveram presentes no cortejo.

O corpo do catador foi coberto com a bandeira do Flamengo, time do qual Luciano era torcedor. "Um dos tiros ultrapassou a tatuagem do Flamengo que ele tinha. Esse time era a paixão da vida dele", disse Lucimara Macedo, de 38 anos, irmã de Luciano.

Carro em que Evaldo estava foi alvo de cerca de 80 tiros Reprodução / Internet
Aparecida Macedo, mãe do catador, ficou muito abalada com a morte do filho Reginaldo Pimenta / Agência O Dia
Rio de Janeiro, 19 de abril, Caju. Enterro do catador Luciano Macedo no cemiterio do Caju zona portuaria do Rio, vitima dos disparos feitos pelo exercito tentando ajudar Evaldo Santos morto com 80 tiros. Foto Marcio Mercante / Agencia O Dia. Marcio Mercante / Agencia O Dia
Rio de Janeiro, 19 de abril, Caju. Enterro de Divina patricia no cemiterio do Caju zona portuaria do Rio, vitima desabamento em Muzema. Foto Marcio Mercante / Agencia O Dia. Marcio Mercante / Agencia O Dia
Rio de Janeiro, 19 de abril, Caju. Enterro de Divina patricia no cemiterio do Caju zona portuaria do Rio, vitima desabamento em Muzema. Foto Marcio Mercante / Agencia O Dia. Marcio Mercante / Agencia O Dia