• Siga o Meia-Hora nas redes!

Cuidando da boca

Especialista dá dicas sobre como prevenir doenças

Quando falamos sobre a saúde da boca, em primeiro lugar lembramos de cáries, implantes, gengivite e outros incômodos mais comuns. O que pouca gente sabe é que diversos sintomas surgem na cavidade oral e indicam a presença de patologias que podem ser ou não graves, e, por isso, não devem ser ignoradas.

Segundo o gastroenterologista João Paulo Cândido Barbosa, do Hapvida Saúde, é muito comum o surgimento de alterações inflamatórias ou infecciosas na boca, além de doenças sistêmicas que apresentam lesões como aftas, glossites e úlceras. "As doenças mais comuns que podem se manifestar por meio da boca são: Aids, sífilis, diabetes, anemia, refluxo gastroesofágico, câncer de boca e doenças autoimunes, como, por exemplo, lúpus", detalha.

Confundir feridas com aftas pode ser frequente, mas o médico faz o alerta para que o indivíduo saiba identificar quando há algo de errado, notando reincidência e permanência de mudanças. "Lesões que não cicatrizam em duas semanas associadas ou não à perda de peso, dor, sangramento e aparição de linfonodos palpáveis devem ser consideradas suspeitas", explica Barbosa.

O médico esclarece também as diferenças entre doenças infecciosas, autoimunes e tumorais. As primeiras provocam inflamações de outros órgãos, como artrite, lesões na pele ao se expor à luz solar, doenças cardiovasculares entre outras. No caso das infecciosas, os sintomas são febre, adinamia (fraqueza muscular) e geralmente prejudicam mais de um órgão.

Já as tumorais apresentam-se inicialmente no local da lesão e podem se espalhar nos casos de doença neoplásica avançada, o câncer. "A distinção entre os tipos, muitas vezes, acontece com a ajuda de biópsia no local", conclui.

Comentários

Mais notícias