• Siga o Meia-Hora nas redes!

Doença é muito comum

Problema crônico de pele atinge 25% das crianças e 7% dos adultos brasileiros

A dermatite atópica é uma doença de pele comum entre brasileiros. Até 25% das crianças e até 7% dos adultos podem apresentar episódios. Trata-se de uma doença crônica, hereditária e não contagiosa, que, em decorrência das lesões na pele e coceiras, pode afetar a autoestima do paciente e sua interação social.

Pacientes com o problema não possuem a barreira protetora da pele e convivem com alergia cutânea que pode desencadear pele seca, erupções que coçam e crostas, principalmente nas dobras do corpo, como pescoço, cotovelo e atrás do joelho. Outras características da doença são esfoliações causadas por coceira, alterações na cor, vermelhidão ou inflamação da pele, que também podem surgir após irritações prolongadas, gerando eczemas.

"Na maioria dos casos, os pacientes não possuem na pele a substância que auxilia no fator natural de hidratação, sendo assim, é como se faltasse uma película gordurosa na pele do indivíduo e é essa película que protege das agressões externas. Uma das queixas mais comuns de quem tem a doença é o impacto na vida social", explica Ana Mósca, médica da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

A doença é controlada com a identificação e tratamento dos fatores desencadeantes, além de medicação. Alguns dos fatores para o desenvolvimento da doença são: contato com materiais ásperos, poeira, detergentes e produtos de limpeza, roupas de lã e tecido sintético, temperaturas extremas, infecções, alguns alimentos e o estresse emocional.

Comentários

Mais notícias