• Siga o Meia-Hora nas redes!

'me preparei espiritualmente'

Mayana Moura está dando um show de interpretação como Satanás na novela Jesus, da Record. À coluna, a atriz, de 35 anos, conta sobre a preparação para interpretar o personagem, revela que faz orações antes e depois das gravações e fala sobre ter sido diagnosticada com bipolaridade. Confira a entrevista.

Mayana Moura
Mayana Moura - reprodução do instagram

Como foi sua preparação para interpretar Satanás na novela "Jesus"?

De início, me preparei espiritualmente e pedi proteção e luz para contar essa história. Para entrar no clima, ouvi muito a música "Angel With The Scabbed Wings", do Marilyn Manson, no último volume. O Manson, sem dúvidas, foi minha maior inspiração para esse momento. Apesar dele ter uma obra obscura, ele é extremamente elegante e refinado. De resto, revisitei minhas referências, pois desde a infância sou apaixonada por filmes de terror.

É seu personagem mais desafiador?

Não diria que é o mais desafiador, mas, certamente, é o personagem que mais tenho referências para contribuir, para acrescentar, para dar vida, por ter assistido a inúmeros filmes de terror e realmente ser fã desse universo obscuro.

Para o personagem, você raspou sobrancelhas e cabelo. Qual foi sua reação quando se viu com o novo visual?

O convite do diretor Edgar Miranda veio junto com a exigência de que eu teria que raspar a cabeça. Fiquei superanimada, pois adoro essa estética andrógina. Já tinha passado por uma experiência parecida no início da minha carreira como modelo. Esse é um universo que já visitei antes.

Para o personagem, você usa unhas grandes e afiadas. É um processo de composição demorado?

Sim, as unhas são feitas de gel e levam duas horas e meia para serem finalizadas. Fico desesperada, pois detesto fazer unha e coisas de menina.

Qual foi sua primeira reação ao se ver caracterizada como Satanás para a novela?

Quando me vi, fiquei muito feliz, pois participei de todo o processo de composição do personagem. A ideia inicial era que eu raspasse a cabeça e a sobrancelha, mas a da lente cinza foi sugestão minha. Resolvemos também acentuar as veias naturais do meu rosto, o que deu um ar ainda mais sombrio ao personagem.

O que você faz para não levar o personagem para casa?

Faço orações antes e depois das gravações e agradeço a oportunidade de poder contar essa história. Me sinto absolutamente protegida, até porque o ambiente das gravações é de muita paz e amor, o que torna tudo muito mais fácil. O nosso protagonista é Jesus, não existe força maior e mais positiva que essa!

Você acredita na existência de satanás?

Olha, acredito em demônios, energias ruins, satanás, mas, acima de tudo, acredito em Jesus Cristo e no poder da oração. Quem ora fica protegido. Acho que a única proteção que a gente pode contar é essa! Temos que orar e ser gratos todos os dias.

Você tem religião?

Não sigo uma religião, mas acredito em Jesus Cristo. Rezo para ele, peço proteção, luz, amor e que me guie pelo caminho certo sempre.

Você chegou a gravar no Marrocos, na África, no início da novela. Como foi essa experiência?

O Marrocos é um lugar mágico, lindo, as pessoas são ótimas. Nós ficamos em uma cidade bem pequena, um lugar de desertos, que chega a fazer 53 graus. Foi um desafio bem grande gravar a cena da tentação. Sofri muito, passei mal, mas as cenas ficaram muito bacanas e eu fiquei muito feliz com o resultado final.

Teve uma cena mais difícil de ser gravada?

Com certeza a cena da tentação no deserto. Minha roupa pesa sete quilos, a temperatura era absurda e foi bem difícil fazer. Mas toda essa dificuldade só agregou valor à cena, que ficou linda!

E como é a reação das pessoas que te encontram na rua?

As pessoas estão elogiando muito o trabalho, dizendo que eu estou assustando de verdade, que estão com medo de mim. Estou muito feliz com o retorno do público. Para a minha surpresa, tenho recebido somente elogios.

Você assumiu ter bipolaridade. Por que decidiu revelar isso para seus fãs?

Assumi a bipolaridade justamente para tentar ajudar as pessoas. Se eu posso me aceitar, elas podem se aceitar também e, principalmente, ter acompanhamento médico, serem medicadas e levar o tratamento a sério. Tudo isso é muito importante para as pessoas na mesma situação terem a qualidade de vida que eu tenho hoje.

Como você melhorou da bipolaridade?

Melhorei tomando os remédios corretos, tendo acompanhamento médico. A bipolaridade é como qualquer outra doença. É só tomar os remédios certos para manter sob controle e fica tudo bem. Aliás, nunca me senti tão bem. Sou muito grata por ter tido esse diagnóstico e poder ser tratada da forma adequada.

Comentários

Mais notícias