• Siga o Meia-Hora nas redes!

'FRIO NA BARRIGA, LÁGRIMA NOS OLHOS'

Lexa, Rainha de Bateria da Unidos de Bangu
Lexa, Rainha de Bateria da Unidos de Bangu - AGNEWS

Lexa está ansiosa para sua estreia como Rainha de Bateria da Unidos de Bangu, da Série A, hoje à noite. Em entrevista à coluna, a cantora fala sobre a expectativa para o desfile, conta que vai tocar tamborim na Sapucaí e muito mais. Confira o bate-papo!

Entrevista Lexa

Como está a expectativa para sua estreia como Rainha de Bateria da Unidos de Bangu?

Nossa, responsabilidade gigantesca. Estou bem ansiosa. Acho que é algo muito novo pra mim, por mais que eu tenha sido Musa. Ser Rainha é diferente, tem uma responsabilidade com a escola.

Acha que vai rolar aquele frio na barriga quando você pisar na Sapucaí?

Sem dúvidas. Vai rolar frio na barriga, lágrima nos olhos, tudo.

Você vai tocar tamborim na Sapucaí?

Em um momento da Sapucaí, eu vou tocar, sim. Eu vou me dedicar mais a sambar, mas eu amo tamborim, aprendi a tocar desde pequenininha, aos 10 anos.

Como será sua fantasia? Vai ser mais comportada ou vai mostrar o corpo?

É meio complicado uma fantasia não mostrar muito o corpo. E, sim, vou mostrar mais o corpo.

As fantasias, geralmente, são muito caras, principalmente as de Rainha. Você faz questão de pagar pelas fantasias?

A fantasia é cara, óbvio. Estou pagando por ela, sim. Acho que a gente tem que estar bonita na Avenida.

Como é a sua relação com os integrantes da Unidos de Bangu?

Maravilhosa. A galera lá me recebe muito bem e eu a mesma coisa. Sou apaixonada por eles.

O que os torcedores da Unidos de Bangu podem esperar do desfile da escola deste ano?

A escola está vindo com muita força, muita garra. Está vindo para brigar pelo título, está linda demais.

Tem um momento mais difícil de enfrentar na Sapucaí? E o mais prazeroso?

O mais difícil é quando você sente a dor da fantasia pesada (risos). E o mais prazeroso é estar na Sapucaí.

O seu noivo, MC Guimê, fica com ciúme de você acabar mostrando mais o corpo no Carnaval ou ele lida bem como isso?

O Guimê lida bem com isso. É super de boa.

Como você lida com o assédio masculino no meio do samba?

Graças a Deus, eu não sofro muito assédio masculino no meio do samba. É mais no funk que no samba.

Além de desfilar, quais são seus planos para o Carnaval?

Muitos shows, porque a carreira mesmo é de cantora (risos).

Comentários

Mais notícias